A Guerra de Maddson

Boa noite #sarahdinha(o)s

A dica de hoje é um filme que retrata as mudanças na vida de um homem de meia idade. Coisas que podem acontecer com qualquer um.

No filme ” A Guerra de Madson” vemos Joe Maddson um ex combatente que vive um casamento sem sonhos  e expectativas.

Ele descobre a traição da esposa que sai de casa após o casamento da filha mais jovem e seu mundo desmorona.

Maddson começa a viver além da guerra mundial (que serve como pano de fundo no filme) uma guerra interna onde tais mudanças lhe provocam medo.

O que achei curioso no filme é que ele não se entrega e vê nessa dificuldade uma oportunidade de mudar de vida.

O filme trata o tema do divórcio em uma época em que isso era um tabu.

Mas sabemos que, de acordo com a biblia, o adultério dá ao traído o direito legal ao divórcio.

Dizem que a vida começa aos 40 e no filme vemos as grandes realizações do personagem após esse “turbilhão” de acontecimentos negativos.

E você?

Como reage quando mudanças drásticas acontecem em sua vida?

Você se entrega ou vai à luta?

Vale a pena pensar sobre isso enquanto assistir esse ótimo filme.

Super indico.

Sinopse:

“O inglês construtor de navios Joe Maddison perdeu sua fé nas trincheiras da Batalha do Somme, ocorrida na França, uma das mais violentas da Primeira Guerra Mundial. Com o início da Segunda Guerra Mundial, Joe está velho demais para encarar o front ao lado de seu filho e seu genro, que se alistaram para defender o país. Depois que ele é abandonado por sua esposa, que foi embora com um marinheiro, ele decide se alistar na Guarda Nacional com seus amigos veteranos, o marxista Eddie e o tirador de sarro Harry, um cara que tem sérios problemas com autoridades. Harry arruma confusão com o chefe da Guarda, Simpson, que o expulsa da corporação. Considerando injusta a punição, Joe lidera os homens da Guarda em uma greve contra Simpson. Os eventos levam Joe a encontrar uma bomba que não foi detonada e, com sua habilidade em combate, ele evita uma tragédia. Isso o torna um herói, famoso na comunidade, e permite que todos seus amigos sejam readmitidos na Guarda. E quando Joe pensou que sua vida estava em ordem, sua ex-esposa volta à cidade, em busca de se reconciliar, justamente quando Joe conhece uma bela viúva, que mexe com seu coração. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, começa a Guerra de Maddison em busca de seu caminho.”

Advertisements

O Quarto de Jack

Ola #sarahdinhos

passei rapidinho pra falar com vocês sobre o filme que assisti ontem e gostei muito.

O quarto de Jack aborda a questão do desaparecimento de pessoas.  Ele conta a extraordinária história de Jack, um espirituoso menino de 5 anos que é cuidado por sua amada e devota Ma (como ele a chama). Como toda boa mãe, Ma se dedica em manter Jack feliz e seguro, cuidando dele com bondade e amor, e fazendo coisas típicas como brincar e contar histórias. Sua vida, entretanto, é tudo menos normal – eles estão presos – confinados em um espaço de 10 m² sem janelas, o qual Ma chamou eufemisticamente de “O Quarto de Jack”. Ma criou todo um universo para Jack dentro de O Quarto de Jack, e ela não parará por nada para garantir que, mesmo neste ambiente traiçoeiro, Jack seja capaz de viver uma vida completa e satisfatória. Mas, enquanto a curiosidade de Jack sobre a situação em que vivem cresce, e a resiliência de Ma alcança um ponto de ruptura, eles ensaiam um arriscado plano de escape, o que os leva a ficar face-a-face com o que pode ter se tornado a coisa mais assustadora: o mundo real.

Eu sempre procuro assistir aos filmes com um olhar crítico e pensando e pesquisando sobre o tema abordado. E neste assunto as descobertas são curiosas.

Por exemplo, segundo a organização não governamental Mães da Sé, a maioria das crianças desaparecidas é menina e tem menos de dezoito anos. A maior parte é de famílias de baixa renda – em oito mil casos só três são de classe média. E curiosamente a criança não some no meio de uma multidão como a gente pensa, mas sim perto de casa.

“A presidente e uma das fundadoras da ONG Mães da Sé, Ivanise Esperidião da Silva Santos trabalha desde 1995 para reencontrar a filha, Fabiana, que sumiu aos 13 anos, a 120 metros do portão, quando voltava da casa de uma amiga. Segundo Ivanise, por trás do sumiço duradouro de crianças e adolescentes pode haver crimes graves, entre eles, tráfico de drogas, exploração sexual e tráfico de seres humanos. “Quanto mais o tempo passa, menores são as chances de a família reencontrar a pessoa procurada.”

Ivanise afirma que fatores culturais ainda atrapalham a identificação de pessoas desaparecidas. Ela desfaz, por exemplo, o mito de que a família tem de esperar 24 horas antes de registrar na polícia o desaparecimento de uma pessoa. “Isso nunca existiu. Ninguém tem de esperar 24 horas para registrar desaparecimento. Algumas delegacias e delegados criaram esse tabu. Mas não é o delegado que vai determinar o tempo para que seja elaborada a ocorrência”, disse ela.”

Achei interessante as dicas da SOS – Casa da acolhida e resolvi repassar aqui

Alguns cuidados que podem fazer a diferença:

  • Desde cedo, ensine à criança o nome completo do pai e da mãe
  • Tire o RG (Registro de Identidade Civil) da criança o quanto antes
  • Ensine à criança o número do telefone de casa
  • Oriente a criança a não dar informações a qualquer estranho que se aproxime
  • Oriente a criança a não receber doces, balas e brinquedos de desconhecidos
  • Garanta que a criança esteja sempre acompanhada de alguém de confiança da família.
  • Procure saber quem são os amigos da criança
  • Preste atenção no comportamento de famílias cujos pais evitem contato da criança com a vizinhança
  • Converse sempre com seus filhos
  • Observe mudanças no comportamento de seus filhos
  • Orientar a criança quanto ao uso do cartão telefônico, bem como fazer chamadas a cobrar para pelo menos três números de parentes, e avisá-los desta orientação;
  • Não deixar as crianças com pessoas desconhecidas, nem que seja por um breve período de tempo, pois muitos casos de desaparecimento ocorrem nestas circunstâncias;

Como ajudar

  • Observar o comportamento de novos vizinhos em relação ao tratamento dispensado ao menores que com eles convivem, comunicando à Polícia qualquer fato suspeito.
  • Observar, em via pública, o trânsito de menores desacompanhados, idosos e portadores de necessidades especiais, caso apresentem desorientação, possibilidade de extravio ou mesmo dificuldade de expressão, comunique o fato à Polícia para que prestem a devida assistência antes que ocorra o seu paradeiro. O ideal é que você possa levar a pessoa até o posto policial mais próximo.
  • Comunicar e registrar o desaparecimento do menor ou do adulto imediatamente após constatada a sua ausência, na Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida. Deve-se apresentar fotografia e documentação do ausente, caso existente, para início da busca. Para o menor, é necessária a apresentação da cópia da certidão de nascimento. No entanto, a ausência do documento não impede o registro e a busca.
  • Caso ocorra o retorno voluntário do desaparecido ao lar, contatar a Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, comunicando o fato.

Eu espero muito que essas dicas possam evitar o pior.

Amei o filme e por isso indico.

Bom filme.

Boa noite #sarahdinha(o)s

Hoje quero indicar o filme “Antes que o mundo acabe”.

Ele é vencedor de alguns prêmios:

Venceu nas categorias Melhor Filme de Ficção (prêmio da crítica), Melhor Direção (Ana Luíza Azevedo), Melhor Fotografia (Jacob Solitrenick), Melhor Direção de Arte (Fiapo Barth), Melhor Figurino (Rosângela Cortinhas), Melhor Música (Leo Henkin)

Segue a sinopse:

“Daniel é um adolescente de 15 anos de classe média que mora no interior gaúcho, junto com a irmã Maria Clara, a mãe Elaine e seu marido Antônio. Ele namora Mim, mas a menina fica em dúvida se gosta dele ou do melhor amigo de Daniel, Lucas. Em meio a brigas, dúvidas e conflitos de uma adolescência do século XXI, Daniel se depara com mais um problema: o pai, que nunca havia dado sinal de vida, resolve lhe mandar uma carta. O homem mora na Tailândia e vai dar a Daniel uma nova visão sobre o mundo.”

Em se tratando dos filhos a bíblia traz muitos conselhos.

Como educá-los. Como ensiná-los no caminho do bem.

Veja o que diz Efésios:

“E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.” (Ef 6:4)
Duas coisas podem fazer com que seus filhos se tornem iracundos quando mais velhos: o excesso de disciplina e a falta dela. O texto de Efésios enfatiza esta última. O que o texto quer dizer é que os pais podem permitir o afloramento da ira em seus filhos negligenciando a disciplina. Paulo também ensina o problema inverso: “Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.” (Cl 3.21) Esta palavra “irritar” está ligada a severidade, ou seja, despertar a ira pelo excesso de castigo. Isso causa desânimo. Sabe por que? Porque eles vão pensar: “Não importa o que eu faça, vou estar sempre errado mesmo!”
Se tratando de disciplina, a chave para seu pleno exercício bíblico é o equilíbrio, pois seu objetivo não é descarregar a raiva e sim trazer seu filho ao caminho certo. Isso pode ser feito de duas maneiras:
– Admoestação – “Mais fundo entra a repreensão no prudente do que cem açoites no insensato.” (Pv 17:10). Ao menos que haja reincidência os pais devem primeiro tentar exortar seus filhos. Como confirma o provérbio, por vezes uma dura repreensão é mais eficaz do que bater.
– O uso da vara – Isso vai contra tudo o que se tem pregado por ai mas a Bíblia legitima este dever do pai. Primeiro do próprio exemplo de Deus: “Filho meu, não menosprezes a correção que vem do Senhor, nem desmaies quando por ele és reprovado; porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe. É para disciplina que perseverais (Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai não corrige?” (Hb12:5-7)

Deus não só age assim como também nos cobra o mesmo procedimento:

Provérbios 13:24 – “O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina.”
Provérbios 23:13-14 – “Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.”

É claro, a disciplina não pode ser aplicada com exagero:

Provérbios 19:18 – “Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo.”

Aproveite para assistir e não esqueça de meditar no que “conversamos” aqui.

Eu gostei do filme por isso super  indico.

Boa sessão.

O mestre dos Gênios

Ola

Muitas pessoas, talentosas ou não, vivem em busca da fama. É e bem verdade que, para alguns, o sucesso sobe para a cabeça.

No filme “O mestre dos Gênios” vemos a historia real do editor Maxwell Perkins, famoso

por tornar escritores desconhecidos em escritores famosos.

que, embora muito talentoso, tinha serias dificuldades de relacionamento inter pessoal.

O filme aborda a ganancia, o orgulho, a em alguns momentos a imprudência, além de deixar clara a  submissão de uma mulher apaixonada dentre outras coisas.

Trazendo para o lado cristão não é difícil ver, ate mesmo dentro da igreja, mulheres que vivem relacionamentos assim.

Mulheres que colocam todas as suas expectativas em homens que não correspondem.

Mas não foi para isso que Deus nos criou. Não digo só as mulheres, me refiro a homens também. Porque sabemos que existem muitos homens manipulados em relações que só tendem ao fracasso.

Mas como seria então uma relação ideal?

No meu ponto de vista deve haver, primeiramente, o respeito, alem  da necessidade de se entender a liberdade do outro.

No filme o  diretor soube representar muito bem uma historia real de um personagem polêmico que viveu muito pouco entre nós mas escreveu seu nome na história da literatura.

Eu, claro, super indico.

Esse filme vai, com certeza, mexer com você.

 

097750-jpg-c_300_300_x-f_jpg-q_x-xxyxx